A banda Silencer foi formada em 1995 na Suécia. uma das pioneiras no estilo DSBM (Depressive Suicide Black Metal), teve apenas 05 anos de existência, mas o suficiente para ser aclamada pelos fãs do black metal e despertar os noticiários da mídia com suas polêmicas e fatos obscuros.
Andreas Casado, guitarrista e baixista, sob o pseudônimo de Leere (que significa “vazio” em alemão) convida para cantar na banda o músico industrial Mikael Nilsson, sueco da cidade de Markary, que adotou o pseudônimo de Nattramn (nome de uma ave mitológica nórdica que leva alma de pessoas que comete suicídio e bebês que morrem sem batismo).
No final do ano de 1998, lançaram a demo Death, Pierce Me, já com o baterista  Tomas Mattsson. A demo foi limitada em 40 edições que contia apenas uma faixa com duração de  11 minutos, que rendeu um contrato com a gravadora alemã Prophecy Productions em 1999. Em 2000, a Silencer recruta o baterista Steve Wolz e grava o álbum Death – Pierce Me. Logo depois da gravação,o vocalista Nattramn publica uma carta onde revela simpatia e admiração por Thomas Quick, um assassino em série da Suécia. na carta, Nattramn termina dizendo que queria matar jovens meninas, como o assassino fizera. A obsessão foi tanta, que ele tentou matar uma menina de 06 anos com um machado no parque de Vattentornsskogen, em Ljungby. Logo depois tentou fugir de bicicleta, e, ao ser pego pela eficiente polícia sueca, o vocalista pediu que o matasse. Depois do episódio ele foi internado em um hospital psiquiátrico em Växjo.
Em 2001, com Nattramn no hospital, foi lançado pela gravadora Prophecy, o álbum que a Silencer havia gravado e que foi muito bem aceito por todos os fãs do black metal. O que mais chamou atenção da mídia em geral, foi o fato do vocalista Nattramn ter cortado as mãos e o rosto com cortes profundos no meio da gravação do álbum, para produzir gritos realistas e dar maior vivacidade nas canções da banda. Os cortes foram tão profundos que Nattramn foi parar no hospital, seu rosto estava coberto com faixas e suas mãos com curativos e amarradas pés de porco. (Nattramn na foto abaixo, confirmando sua perturbação mental)
Nattramn
Andreas Casado, depois de todo o episódio nos anos de 2005 e 2006, tocou em outra banda de DSBM, chamada Shining, porém a passagem do músico pela banda foi rápida, pois Andreas saiu pouco antes do lançamento do ótimo álbum Halmstad. Paralelo a este acontecimento, Nattramn continuava internado e tentando expor seus sentimentos. Escreveu no centro de reabilitação mental, um breve documento a respeito de todos os acontecimentos, e no ano de 2011 saiu o livro Grishjarta (coração de porco em sueco).
Dando continuidade em sua carreira musical, Nattramn lançou o álbum Transformalin , de sua nova banda: Diagnose.
Contudo, ficaremos atentos as histórias deste polêmico músico que junto com suas bandas, nunca deram entrevistas; deixando que as atitudes realistas e obscuras falassem mais alto, para o delírio de todos os fãs do gênero.




o autor

Amante do rock e seus gêneros! Leitor e eterno aprendiz da escola da vida.

Comentários

  1. ezequiel disse:

    isso eh uma bosta nem rock eh isso eh coisa do coisa ruim võ se fude caralh@